quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Diário de Bordo - Veneza - Dia 5

20 julho

Eu sei que a varanda da Julieta mais famosa não é verdadeira. Um palácio medieval de Verona foi utilizado para representar a "Casa di Giulietta" devido à semelhança entre o apelido da família que lá vivia, Dal Capello e o apelido da família da Giulietta do Romeo, Capuleti. Há quem diga que a trágica história de amor de Shakespeare terá um fundo de verdade. Sendo ou não, não me choca que Verona seja o palco de uma casa arranjada para parecer a da história, que tenha uma varanda onde se faz de conta que Giulietta escutava as promessas de amor do seu amado Romeo.




É como ir à Disney (atrevo-me a comparar!)...também é o mundo do faz de conta baseado em histórias. É também uma forma de não deixar morrer uma das histórias mais famosas de sempre, adaptada centenas de vezes a cinema, teatro..

Há uma tradição que diz que quem tocar na mama direita da estátua que representa a Giulietta, terá sorte nos amores ou encontrará o amor verdadeiro. E faz-se fila....não vá o diabo tecê-las...se bem que a história da moça pode representar um grande amor, mas não é lá grande exemplo de sorte...

E assim, não podíamos deixar de ir a Verona.
Junto à casa e um pouco por todo o lado abundam as juras de amor expressas nos inúmeros cadeados. A cidade tem tentado combater o facto dos enamorados escreverem nas paredes do arco que dá acesso ao pátio da casa.....em vão. Disponibilizaram até autocolantes numa tentativa de substituir as canetas, mas a moda não pegou. Eu e a I deixamos um papelinho colado pelo nosso amor mãe & filha e por esta viagem.
Não escrevemos na parede....aliás a parede já nem tem um milímetro livre...



Almoçamos um belo dum Risotto di porcini em cama de queijo parmesão e uma Carbonara. A verdadeira da Carbonara! Sem natas e com ovo. Nunca se lembrem de em Verona pedir Carbonara sem ovo! Nem de perguntar se fazem carbonara com outra massa que não esparguete!
O empregado ía tendo um colpaso nervoso quando nos ouviu perguntar se podia ser sem ovo.... Começou a gesticular em italiano "Spaghetti! Carbonara! Uovo! Pancetta! Eco!"....pronto pronto, traga lá com ovo!


Casa - feito
Varanda - feito
Estátua - feito (pelo sim pelo não)
Ficou de fora a visita ao suposto túmulo. Não é preciso fantasiar tanto vá!

Um crepe com nutella para recarregar baterias.
Prontas para regressar a Veneza.

Chegamos mesmo a tempo de encontrar uns amigos portugueses mesmo ali em frente à Ponte dos suspiros!!! Um grande momento! Depois da selfie fomos percorrer mais umas ruas até San Marco.
Já conhecemos alguns cantos à cidade!






Subimos ao Campanile di San Marco para as últimas vistas. Agora de outro ângulo.
Estávamos lá em cima enquanto a cidade se despedia do dia.
O sino marcou as 21h, como todos os dias, indiferente ao barulho que fazia.




video

E depois da última badalada tivemos que descer. A tempo do dourado na Basílica e do som do violino.



Encontramos uma Osteria para o nosso último jantar. Mesas com toalhas aos quadrados vermelho e branco. Para mim isto é Itália!



Acabamos a noite a ler junto ao canal, mesmo ali pertinho da Ponte de Rialto.
Momentos que não se explicam.



2 comentários :

  1. Lindo, até dá vontade de estar com vocês nesta viagem maravilhosa. Gostei muito das fotos. Sejam muito felizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Foi de facto uma viagem para recordar sempre! Que a vida traga sempre oportunidades e que possamos agarrá-las. Bj

      Eliminar